Voltar para home

Trabalho emprego

13,7% das mulheres empregadas em SP são domésticas; trata-se do menor nível em 30 anos

Postado em 23/04/2015

"No ano passado, o percentual de mulheres empregadas como domésticas caiu para o menor nível em três décadas na região metropolitana de São Paulo, de acordo com estudo da Fundação Seade. Em 1985, quando a entidade iniciou sua Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED), as empregadas domésticas representavam 20,9% do total das mulheres ocupadas na região, parcela que recuou para 13,7% no ano passado. Em 2013 era de 14%. O aumento da escolarização, que possibilita a busca de outras alternativas de trabalho é uma das explicações para o fenômeno."

"Algumas características desse mercado já vinham se alterando ao longo do tempo, diz a Seade, como a drástica redução entre as empregadas domésticas que dormiam na residência em que trabalhavam. Em 1992 elas representavam quase um quarto (22,8%) do total. Em 2014 eram 2%. A participação de negras aumentou. Em 2014, correspondiam a 52,6% do total nesta ocupação, proporção muito superior à verificada na população economicamente ativa (PEA), de 38,2%. Essa proporção vem crescendo: em 2000 eram 49,1%, passando para 50,9%, em 2012, e 51,4%, em 2013."

"Outra mudança importante diz respeito à idade. Em 2007, as domésticas eram principalmente jovens e adultas de até 39 anos (50,3%). Em 2014, esse grupo passoi para 32,6%. “O trabalho doméstico não tem sido uma opção relevante para as jovens se inserirem no mercado de trabalho”, diz a pesquisa. Entre 2012 e 2013, a participação das trabalhadoras domésticas de 16 a 24 anos diminuiu de 4,7% para 4,2%, sendo que, em 2014, sequer foi possível a desagregação nessa faixa etária, em função do pequeno número de casos identificados pela pesquisa."

"O estudo ainda mostra que cresceu a contratação com carteira. Em 2014, 40,9% estavam formalizadas, ante 38,6% em 2013 e 31,4% em 2003. O contingente sem carteira diminuiu de 23,3% para 20,3%, entre 2013 e 2014."

"Quanto à renda, identificou-se um aumento no rendimento das mensalistas sem carteira e das diaristas. O rendimento médio real por hora do total de empregadas domésticas registrou expansão consecutiva nos últimos dez anos. Em 2014, permaneceu relativamente estável para as mensalistas com carteira de trabalho assinada (+0,5%) e aumentou para as diaristas (6,3%) e, principalmente, entre as mensalistas sem carteira (14,1%). Tais rendimentos passaram a equivaler R$ 6,59, R$ 8,56 e R$ 5,59, respectivamente. A pesquisa também mostrou que quase metade das empregadas não contribui para a Previdência Social."

Veículo: Valor Econômico

Título original: Parcela de mulheres empregadas como domésticas é a menor em 3 décadas

Link: http://www.valor.com.br/brasil/4018956/parcela-de-mulheres-empregadas-como-domesticas-e-menor-em-3-decadas

Data da matéria: 23/04/2015

Jornalista: -

Fonte oficial: Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Fundação Seade) e Dieese

Palavras relacionadas: trabalho, emprego, domésticas, pec das domésticas, direitos das domésticas